sábado, 10 de julho de 2010

Camp Chopp: homofobia sem limites

  
Até quando vamos tolerar estabelecimentos homofóbicos?

O post de hoje não é nada agradável. Noite passada, um jovem gay foi agredido dentro de um bar, aqui em Campinas, por um dos seguranças do próprio estabelecimento. O motivo? Estava entrando de mãos dadas com o namorado e não quis separar as mãos. Levou uma garrafada na cara.

Tem cabimento? O bar, todo mundo conhece: é o Camp Chopp, que fica ali na praça Bento Quirino, ao lado do Jockey. Isso, bem ali na "praça gay" de Campinas. E não é a primeira vez que esse estabelecimento trata com homofobia seus clientes homossexuais: eu mesmo já fui hostilizado no local por trocar beijos com meu namorado e até a Lohren Beauty já teve que chamar o gerente (e bater boca com ele) por causa de um garçom que se recusava a nos atender. O bar é notoriamente homofóbico, apesar de (ou justamente por) ficar num espaço notoriamente gay.

Camp Chopp: o bar homofóbico de Campinas

Os garçons dos bares ali da região acham que, por já existir um bar "gay" na praça, o Sucão (que nem é gay, mas foi ocupado pelos gays - e isso já dá ouuutra história), "lugar de gay é ali, não no meu bar". Não sei se isso é alimentado pelos donos, mas deve ser. Frequentemente clienters gays e lésbicas são enxotados de outros estabelecimentos da praça e ordenados que permaneçam "no Sucão, onde é o lugar de vocês". Não vejo proprietários recriminando isso.

Tinha tudo pra dar merda - e ontem deu.

Resumindo: o menino, Jhonatan, ficou caído numa poça de sangue, desmaiado e tendo convulsões, e o barraco estava armado. O segurança correu pra dentro do bar, as gay correram atrás, o SAMU não chegava, veio o Resgate, veio a polícia, mesas e cadeiras voaram, rolou spray de pimenta pra todo mundo. No fim, prenderam o segurança. E o Jhon foi levado para o hospital, onde permanece, já fora de perigo.

Jhonatan, a vítima da vez: quantos mais??

Agora é ver se isso vai ficar assim, por isso mesmo, ou se essa impunidade desse (e de outros) estabelecimentos homofóbicos vai acabar. Lohren já me disse que o E-JOVEM vai acompanhar.

E cadê o PLC 122/06 que não é aprovado, pra tornar a homofobia logo crime duma vez? Quantos Alexandres e Jhonatans terão que morrer?

Vou deixar vocês com o desabafo que o primo da Lohren, Caíque, amigo da vítima e que estava na cena, postou no twitter:

"Ontem um segurança do CAMP CHOPP deu uma garrafada num amigo meu de 17 ANOS! É uma vergonha tanto PRECONCEITO! Ele acabou desmaiando e perdeu muito sangue, pois rasgou a cabeça dele. É uma vergonha esse tipo de atitude! SAMU levou MAIS DE 30 minutos! E o pior de tudo, chega a polícia já gritando e jogando spray de pimenta. Hoje ele está bem, está se recuperando. Mas até QUANDO temos que morrer pra mostrar pros FILHA DA PUTA dos governantes QUE GAY NÃO É BICHO! Ou será que estão esperando o extermínio das gays pra POR NO JORNAL "Gay está em EXTINÇÃO"? Não somos animais! SOMOS SERES HUMANOS E TEMOS DIREITO DE VIVERMOS BEM NUMA SOCIEDADE ONDE TUDO É PADRÃO. QUE PENA! Não temos que IMPLORAR por direitos. Quando acordarmos pra vida iremos ver que SOMOS MENDIGOS de presidentes e vereadores."

É isso aí. Vamo acordar. E o pior é que enquanto uns poucos lutam contra a homofobia, a maioria só quer saber de fervo...

Atualização!!

O Cristiano Melli também esteve no local e mandou o seu relato. Leiam abaixo:

"Bicharada (bichas e bichos),
olha isso. Sexta feira noite de Revolução Constitucionalista, cheguei com o Andrezinho ao que parece um pouco depois da garrafada que desacordou a colega e marcou todos na praça. E o babado foi forte, temperado com dor, sangue, polícia e pimenta. Mas foi bonito tb, ver as bichas, as sapas e as travas juntas. As mais guerreiras corriam e davam voadoras na porta do Camp Chopp; as garrafas (muitas, mas muitas mesmo!) voavam das mãos e nessas mesmas portas metálicas se espatifavam, e ao explodirem no impacto caíam os cacos que contra a luz eram chuvas brilhantes, purpurinadas, ameaçando a caretice homofóbica.

Stonewall: Campinas declara guerra aos bares homofóbicos

Os gritos e as vaias amedrontavam os que, em proteção trancados dentro do bar agora armário, experimentaram por algum tempo (nada q se compare às vidas inteiras q se comportam assim) a sensação de ser minoria. E as bichas, as sapas e as travas aumentaram seu amor a todos seus iguais, respondendo à agressão ao bando. A violência nunca é desejada; mas a resposta forte à violência q se considerou impune trouxe um lampejo de beleza ao ato lamentável e suas consequências idem. O Camp Chopp virou cu fechado que de tão travado nem uma azeitona passava por suas portas metálicas - muito menos os funcionários. E aqueles/aquelas que diariamente estão nessa praça como línguas amaciando a dor e abrindo a delícia não aguentaram o estupro moral e a violência física, reinventando o ditado: quem com garrafada fere, com garrafada pode ser ferido."
 
Parece que rolou um Stonewall campineiro lá no Camp Chopp!! Menos mal... É bom pra eles aprenderem. Segundo o Max, coordenador do E-CAMP, eles gastaram 5.500 reais para repor a porta.
 
E isso é só o começo...

8 comentários:

Grampo disse...

Que coisa horrível, eu não sou de Campinas, mais acredito que esse agressor deve ser indiciado por tentativa de assassinato, gente vamos escrever para os Senadores e Deputados Federais, se não coisas assim só val acontecer mais vezes.

Rafael Luz disse...

Realmente chocante. Divulguei a notícia no Twitter.

Deusimar Santos disse...

É muito triste tudo isso, as pessoas ainda não se conscientizaram da evolução em que estamos e que precisamos observar mais o direito ao ir e vir de cada individuo. Precisamos que casos como esse não fique impune.

Fábio Silva disse...

ABSURDO.

Eu to cansado, porra. O sistema só existe pra fuder a gente. NÃO tem que existir guetos, a gente tem que ser livre, temos o direito a liberdade, de entrar em qualquer ambiente. E nossa integridade fisica e moral TEM que ser garantida. Mas o sistema só funciona para os poderosos. Eu já perdi a cabeça, estou a flor da pele. Não da pra tomar uma tapa na cara desses e ficar sem reagir. Tem revoluções que só acontecem através do voto, mas essa aqui tem que ir além: vamos nos mobilizar e fechar o Campchoop e qualquer outro maldito espaço onde existe HOMOFOBIA.

Das Loka disse...

Esta infelizmente é uma noticia péssima, nós do Blog Das Loka, denunciamos também esta atitude arbitrária e covarde...
Nosso apoio a comunidade LGBT de Campinas e estimas de melhoras a Jhonatan Prada, mais uma vítima da homofobia gritante deste país...

www.daslokabrasil.blogspot.com

Moderador disse...

No Brasil, o homossexual só é cidadão na hora de votar e pagar os impostos. Fora isso, não pode usufruir dos mesmos direitos dos heteros sem que gere alguma forma de agressão física ou verbal, como neste caso do bar da homofobia.

robson disse...

Boicote por todos gays ou não e processo da familia do garoto,essa gente só entende no bolso.

robson disse...

Robson disse:Tem que haver boicote por parte de todos,homo ou não e a familia do garoto entrar com uma ação civil,pois essa gente só entende doendo no bolso.

Ocorreu um erro neste gadget