terça-feira, 27 de julho de 2010

Presidência da República se manifesta sobre o caso Camily


PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA
Secretaria de Direitos Humanos
Subsecretaria Nacional de Promoção de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos


NOTA PÚBLICA
Sobre a violência contra as travestis e transexuais no Brasil



A Subsecretaria de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos da Secretaria Direitos Humanos da Presidência da República vem publicamente reafirmar seu compromisso no combate à violência e discriminação contra a população de travestis e transexuais do Brasil. Esses atos são conhecidos como transfobia.

Vítima desse tipo de violência, a jovem Camille Gerin, de 25 anos, foi agredida brutalmente a pauladas e morreu na tarde nesta terça-feira, em Campinas (SP). No estado de Mato Grosso, somente nos últimos trinta dias, oito travestis sofreram agressões físicas, entre elas a militante LGBT Lilith Prado.

Os crimes de ódio motivados pelo preconceito e discriminação com base na identidade de gênero são freqüentes e representam grave violação aos Direitos Humanos. Tal violência não tem justificativa nem é compatível com a democracia e a construção de uma sociedade mais justa e fraterna.

Esta Subsecretaria comprometida em acompanhar a apuração destes casos para que haja, nos termos e nos limites da lei, a efetiva responsabilização criminal de todos os envolvidos.


Brasília, 27 de julho de 2010


Lena Peres
Subsecretária Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos

Um comentário:

Francine Romero Acorsi disse...

Eu li a matéria sobre o assassinato de Camily, fiquei horrorizada, principalmente com a justificativa ridícula que o tal "ajudante" arrumou para assassinar um ser humano. Enquanto a sociedade olhar pra pretos, brancos, homossexuais, transexuais ... isso não vai acabar. Quando nos olharmos, simplesmente, como pessoas, iguais. Não teremos mais casos como esse. O importante agora é não deixar que a justiça feche os olhos. Assim, como todos... eu sinto muito.

Ocorreu um erro neste gadget