sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Campinas terá Plano Municipal de Saúde LGBT

Que saúde!!

O Conselho Municipal de Saúde de Campinas aprovou nessa quarta-feira, 24, a criação de um grupo de trabalho para a formulação de um Plano Municipal de Atenção à Saúde Integral da População LGBT. O plano campineiro deve seguir as diretrizes aprovadas por unanimidade, em novembro de 2009, pelo Conselho Nacional de Saúde. A coordenação do GT ficará a cargo de Deco Ribeiro, conselheiro municipal de saúde e membro da Mesa Diretora do Conselho.

"Foi uma noite de vitórias," comemorou Deco. "Convocamos a prefeitura a apresentar os programas voltados à população LGBT e, como esperado, só o Programa Municipal de DST/AIDS se manifestou. Isso ressaltou ainda mais a necessidade de criarmos um plano que envolva toda a Secretaria de Saúde . Afinal, gay não está sujeito só ao HIV."

Além da apresentação da prefeitura, o GRUPO E-JOVEM também apresentou seu projeto de formação de Agentes Jovens de Saúde LGBT (A-jovens), o Galera E-jovem. Vários Agentes Jovens do E-CAMP estiveram presentes, fazendo uso do microfone e tudo.

 
Vinícius Saraiva (centro) e outros Agentes Jovens de Saúde LGBT

O jovem Vinícius Saraiva, de 16 anos, foi ao microfone denunciar a falta de preparo dos médicos ao atender adolescentes gays nos postos de saúde. E a travesti Bruna Baby, 20, reclamou que já pediu várias vezes para ser atendida por seu nome social, mudando inclusive seu cartão do SUS, sem sucesso. Eles distribuíram aos conselheiros cópias do fanzine "Juventude & Sexualidade", produzido no Galera E-jovem.

O grupo de trabalho será composto por usuários do SUS, trabalhadores da saúde e gestores da Secretaria de Saúde e analisará propostas do Plano Nacional de Saúde da População LGBT, da Conferência Nacional LGBT, das Conferências LGBT de Campinas e da Conferência Nacional da Juventude LGBT. A iniciativa teve todo o apoio da Secretaria de Saúde de Campinas.

Comentário do Deco: Arrasamos!! Fomos nós que pedimos a pauta e a reação dos conselheiros e dos gestores foi muito receptiva. Agora é trabalhar!! =D
   

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Jovens gays de SOROCABA também saem às ruas e lutam por direitos!

E a galera do E-jovem em Sorocaba também vestiu rosa e foi pras ruas!! Arrasaram!!
 

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Jovens LGBT saem às ruas e lutam por direitos

  
Tradicional ponto de chegada da Parada LGBT de Campinas,
o Largo do Rosário foi um dos palcos de protestos
Foi lindo.

Era um domingo comum, pra muita gente. Mas pra dezenas de jovens gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e transgêneros foi dia de sair às ruas e lutar por seus direitos. Por mais direitos? Não, pelos direitos que já lhe pertencem e são cotidianamente negados.

Galera toma uma das principais avenidas de Campinas
para lutar pelos direitos dos jovens LGBT

"Direito de estudar, por exemplo," cita a drag queen Lohren Beauty, presidente do E-JOVEM. "Muitos largam a escola por sofrerem homofobia ou por não aguentarem as piadinhas sobre sua sexualidade - que muitas vezes acabam virando agressões verbais e até físicas."

O E-CAMP, Grupo E-jovem em Campinas, ocupando o monumento a Carlos Gomes, no marco zero da cidade (e ponto de encontro LGBT), a Praça Bento Quirino. Sentada, de guarda-chuva, Lohren Beauty

"Muita gente não sabe ou tem vergonha de ir pra rua protestar," afirma Max Rodrigues, de apenas 13 anos, coordenador do E-CAMP. "Mas esse é mais um direito nosso, além de saúde, educação e respeito da família."

Vitória, 15 anos, estava na manifestação lutando pela visibilidade de adolescentes e jovens transexuais. "Jovens trans existem. Não finjam que não veem," escreveu ela em seu cartaz.

Vitória com seu cartaz na passeata:
"Jovens trans existem - não finjam que não veem"

Todos os participantes puderam fazer cartazes e colocar pra fora toda a sua indignação com a falta de respeito aos direitos dos jovens LGBT. Um deles chamava para a família a responsabilidade pelos jovens gays que se suicidam. Muitos clamavam por direitos iguais para todos, por respeito, por liberdade.


Antes da manifestação, Oficina de Cartazes. À esquerda, Max Rodrigues, 13,
coordenador do E-CAMP (incorporando seu alter ego Karina Beauty)

No final, ficou, em muitos, a descoberta de que é botando a boca no mundo que se começa a fazer alguma coisa de concreto para mudar a nossa realidade. Ficou o aprendizado de como fazer uma mobilização e o gostinho de "Quando vai sera próxima?"

Essa é uma galera que já tem passage garantida pra Marcha LGBT a Brasília, em maio deste ano...

Parte da galera E-jovem, pouco antes de sair pra manifestação,
onde todos vestiram rosa em protesto contra a heteronormatividade
    

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Mais sobre a mobilização do dia 21

Recadinho da presidente do E-JOVEM, Lohren Beauty:

O QUE FAZER NESTE DIA:

1- CONVIDE SEUS AMIGOS, FAMILIA, PROFESSORES, VIZINHOS, TODAS AS PESSOAS QUE VOCÊ CONHECE PARA PARTICIPAR.

2- MARQUE UM PONTO DE ENCONTRO NA SUA CIDADE, PODE SER UM PONTO TURISTICO; PRAÇA; OU ATÉ MESMO NA CASA DE ALGUÉM.

3- USEM NESTE DIA UMA CAMISETA ROSA.

4- FAÇA CARTAZES; FAIXAS; BANERS; FOLDERS; PANFLETOS DIZENDO O PORQUE DE SUA MANIFESTAÇÃO, QUAIS SÃO OS DIREITOS QUE LHE SÃO NEGADOS.

5- TIRE UMA FOTO JUNTO COM TODO O PESSOAL

6- ENVIE PARA chesller.m@hotmail.com COM O NOME DE SUA CIDADE E ESTADO PARA QUE POSSAMOS FAZER UM VIDEO COM AS FOTOS DE TODAS AS PESSOAS QUE PARTICIPARAM DE NOSSA MANIFESTAÇÃO. ESTE VIDEO SERÁ DIVULGADO NO YOUTUBE PARA QUE TOAS AS PESSOAS SE LEMBRE DA GENTE TODOS OS DIAS!

VAMOS ARRASAR...
 

21 de fevereiro - Não se esqueça de mim!


A ideia é ter jovens LGBT, em todo o Brasil, usando camisetas rosas e se manifestando - da maneira que quiserem - nos pontos principais (turísticos ou históricos) de cada cidade.

Converse com seu E-grupo, junte seus amigos, faça uma festa!!

Vamos fazer todos se lembrarem de que ajuventude LGBT existe!!

Mais informações em www.e-jovem.ning.com 
  

domingo, 14 de fevereiro de 2010

'Sou alérgico a vaginas', diz Robert Pattinson

'Sou alérgico a vaginas', diz Robert Pattinson ao posar com mulheres nuas


Sábado, 13/02/2010

Robert Pattinson encara ensaio ao lado de mulheres nuas Contrariando sua fama de galã, Robert Pattinson declarou, após um ensaio fotográfico para a edição de março da revista “Details”, que é “alérgico a vaginas”. Nas imagens, o ator aparece ao lado de uma modelo nua.

“Eu realmente odeio vaginas”, disse o protagonista da saga “Crepúsculo”. “Só de ensaio foram 12 horas, das quais cinco ou seis, essas meninas ficaram nuas... Graças a Deus, eu estava de ressaca”, completou.

Pattinson também negou que esteja “afetivamente ligado” a Kristen Stewart, ou “a qualquer outra mulher de Hollywood”. “A única conexão emocional relevante que eu tenho é com o meu cachorro”, debochou ele.

Embora esteja prestes a lançar o drama romântico “Remember Me”, em março, Robert revelou que preferia fazer grandes discursos políticos. “Você tem dois ou três minutos para afetar a vida de alguém. Faça-os ouvi-lo. Eu gostava de divulgar 'Crepúsculo', porque era mais ou menos assim”, disse.

(fonte: http://yahoo.tecontei.com.br/noticias/sou-alergico-a-vaginas-diz-robert-pattinson-ao-posar-com-mulheres-nuas-70454.html)

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Em SP, Lula governa por tabela

 
What would Lula do?

É engraçado como o governador Serra se espelha em Lula para conduzir o seu governo... Dois exemplos dessa semana ilustram bem isso.

Primeiro foi o salário mínimo. Lula aumentou o salário mínimo para 510 reais e o Serra corre e lança o salário mínimo de São Paulo no valor de 560 reais. "O maior salário mínimo do país", diz. É Serra avançando no social, seara de Lula. O que é ótimo para a população, claro. Ou seja, para ser melhor que seu adversário, Serra precisa dar atenção a setores que antes desprezava, setores no qual Lula é forte. E, por tabela, acaba fazendo o que Lulafaria em seu lugar.

Outro exemplo: privatização da CESP. O governo anunciou hoje ter desistido da privatização da CESP. Motivo? "Uma eventual decisão de mantr o plano de privatização poderia coincidir com o calendário eleitoral, algo que daria munição aos petistas." Ou seja, Lula não privatizaria a CESP. Então Serra resolve também não privatizar.

E assim, Lula vai governando SP... =D
  

A Carta do General

 
General homofóbico Raymundo Nonato 
de Cerqueira Filho sentindo a batata assar

Ai, General... Sua tentativa de emenda foi pior que o soneto. Pra falar que não estava discriminando as gay, ele me sai com essa:

Na carta, o general diz que sua opinião manifestada durante sabatina na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado foi "puramente uma questão de aptidão ou perfil para a atividade". "O meu posicionamento não tem força de lei, pois cabe ao Ministério da Defesa, juntamente com as Três Forças, estudar e, se for o caso, propor um projeto de lei que permita o ingresso de homossexuais nas Forças Armadas e, ao Congresso Nacional, a sua aprovação", afirmou.

Quer dizer então que gays estão PROIBIDOS de servir o exército?? Novidade pra mim isso. Esse cara tem que ser barrado da vida pública JÁ!!
  

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Carta à Danuza Leão

  
  
Cara Danuza,
  
Sei que estamos em campos e espectros políticos diferentes. Tudo bem. Não, não a conheço pessoalmente, só assumo isso pelo que escreve. Como sua posição contrária às cotas, por exemplo. Vemos o mundo de maneira diferente.
  
No entanto, não posso deixar passar em branco seu artigo "Como se tornar uma drag queen", reproduzido pela FOLHA e por outras agências (como a Agência de Notícias de Aids: http://www.agenciaaids.com.br/site/noticia.asp?id=14044). 
  
Duas coisas saltam aos olhos:
  
1) Você não procurou conhecer melhor o projeto da escola (teria entrado em nosso site, www.e-jovem.com?) antes de criticá-lo. Uma pena. Muitos se deixam levar pelas manchetes e cometem os mesmos erros que você cometeu, de confundir um espaço de agregar com um de segregar. Sugiro a leitura do artigo "Uma escola gay para todos", disponível em http://e-jovem.com/news.htm#todos
  
2) E, mais sério: Você menospreza a Cultura LGBT. Quer dizer que a atividade drag só pode ser romanticamente amadora? "Essa história de dar aulas para ensinar como se tornar uma drag-queen chega a ser ridícula; a vocação vem do berço e não precisa de professor para ensinar. Mesmo nascendo e crescendo numa fazenda no interior do Acre, uma drag, desde sua mais tenra infância, sabe se "montar" como ninguém. Ela pega um pano, amarra na cintura, de umas frutinhas faz um colar, passa colorau na boca (...) e na falta de um sapato alto, anda na ponta dos pés; é com ela mesmo, e é preciso ser muito ignorante para pensar que para ser drag é preciso aprender." - palavras suas.
  
Vocação para cuidar dos outros também vem do berço, mas ninguém deixa de estudar anos de medicina ou enfermagem para fazer isso MELHOR.
  
O que vc escreveu acontece, claro. Nesse caminho, a futura dragzinha apanha do pai, é estuprada pelos tios e impedida de usar o banheiro da escola pelos "coleguinhas". As que insistem, comem o pão que o diabo amassou, sendo exploradas por tudo e por todos, em busca de seu lugar ao sol. Como alguém pode ser contra a criação de um espaço onde esse jovem não só será ACEITO, como receberá as técnicas para ser uma drag MELHOR (dança, canto, técnicas de dublagem, teatro, maquiagem, figurino, customização de roupas, mixagem de músicas, produção de espetáculos)?
  
Enfim, não espero resposta, Danuza. Só queria, como disse, desabafar. Para não deixar passar em branco.
  
Um abraço,
  
Deco Ribeiro, diretor
ESCOLA JOVEM LGBT
  

Se os negros do SuDÃO / Por que eu não posso DAR?"

 
Abaixo está o vídeo com a marchinha vencedora do concurso de marchinhas que a Globo vem fazendo nos últimos anos. Este ano, o concurso foi em homenagem a a João Roberto Kelly, autor de mais de 40 sucessos, como "Cabeleira do Zezé".

Fez todo o sentido que a marchinha vencedora fosse gay. Gay fph, claro (feito por héteros), mas o refrão é tão divertido, que a gente até releva. Não achei preconceito, muito pelo contrário - pode até virar hino das gay. Afinal, "O Conde D'Eu / O Rei de Bagdá / Se os negros do Sudão / Porque eu não posso dar?"



 
Vamos cantar essa marchinha lá em Brasília, na Marcha LGBT que estamos preparando para a semana de 17 demaio... =D
 

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Gays em alta na mídia!!

   
E não é que fomos DE NOVO pra capa dos três jornais de Campinas??
Sea matéria de ontem falou da fila de espera de alunos, a de hoje falou da de professores, se oferecendo pra participar (voluntariamente até) da Escola. Oassunto domina a cidade e é assunto nas praças, cafés e pontos de ônibus.
Nem sempre de maneira lisongeira, mas enfim. =D
As gay tão em alta mesmo na mídia, hein?? Não passa um dia sem um destaque. Será que não é uma estratégia da mídia pra forçar uma reação conservadora?? hehe
bjus do Deco =]
Publicada em 5/2/2010
no jornal Correio Popular
de Campinas/SP
Cidades
Voluntários fazem fila na escola gay
Pelo menos 74 profissionais de diversas áreas já demonstraram interesse em dar aulas em Campinas
Adriana Giachini
DA AGÊNCIA ANHANGUERA
amaral@rac.com.br


A primeira escola brasileira de cultura gay, com sede em Cam pinas, já tem lista de espera para voluntários que queiram participar do projeto. De acordo com o idealizador da Escola Jovem LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais), Deco Ribeiro, até ontem, 74 profissionais das mais diversas áreas haviam procurado a coordenação com sugestões de cursos extracurriculares. “Temos advogados querendo falar sobre direitos humanos e até estilistas para comentar sobre moda ou árbitros de futebol para discutir regras do jogo”, afirma Ribeiro. “Nossa ideia é testar as ‘ofertas’ e ver quais despertarão mais o interesse dos alunos.”


A escola gay é um dos 300 projetos de cultura em todo o Brasil financiados por meio de um convênio entre Estado e União. Inicialmente, serão oferecidas 60 vagas em cursos de dança, web TV e fanzine. Os coordenadores ainda procuram uma sede, que deve estar localizada no Centro ou no Nova Europa. As aulas dos três cursos chamados “oficiais”, com início no dia 6 de março, serão sempre aos sábados. Durante a semana, os voluntários poderão ocupar boa parte da grade de atividades.


Hoje, estão confirmados os cursos de teatro e de canto e coral. As inscrições para voluntários devem ser feitas através do site www.e-jovem.com (página virtual onde cerca de 2 mil campineiros difundem o respeito à diversidade sexual). “O número de pessoas querendo trabalhar com a gente é muito maior do que o esperado e isso prova que estamos no caminho certo. Eu acredito que abrir uma escola gay é uma ousadia tão grande quanto a das pessoas que virão estudar aqui ou mesmo ensinar seus talentos”, diz Ribeiro.


O mais interessante, segundo ele, é a oferta de profissionais heterossexuais. “A maioria são mulheres, já que entre os homens ainda resiste o preconceito”, diz. Todos os cursos oferecidos na escola serão gratuitos. O convênio garantirá verba de R$ 180 mil para três anos de atividade. “O nosso maior desafio é conquistar o empresariado para garantir muito mais do que três anos de existência”, afirma o idealizador. Quem quiser saber mais sobre o projeto pode acessar o site do E-jovem.


Primeiros


Entre os voluntários já com vaga garantida no corpo docente da escola gay está o ator Gustavo Tonini (FOTO), que interpreta a drag Priscilla (bastante conhecido por suas apresentações de humor em Campinas e região). Com formação na área no Rio de Janeiro, em curso com o diretor da Rede Globo Wolf Maia, ele dará aulas de teatro. “Eu não perderia a chance de participar de um projeto como esse, que tem como maior desafio formar adultos coerentes. É também uma grande oportunidade de aprender e, por que não, de encontrar espelhos dentro do nosso universo”, diz. Sua turma participará da montagem de um espetáculo com temática gay para ser encenado em junho, mês da Parada Gay. “É um texto sobre a necessidade de autoaceitação”, antecipa.


O curso de canto e coral terá o comando de Cristiano Henrique da Silva, de 19 anos, que pretende compartilhar a experiência de nove anos de aulas no Conservatório de Montes Claros, em Minas Gerais. “Essa é uma oportunidade que eu mesmo não tive, por isso quis participar”, diz. “E qualquer pessoa pode cantar, até mesmo a Wanessa Camargo!”. Uma fonoaudióloga fará acompanhamento dos alunos de coral. A intenção é montar um grupo para apresentações na cidade.


SAIBA MAIS


MATRÍCULAS


Os alunos aprovados na 1ª chamada, por critérios de idade, deverão confirmar a matrícula nos cursos da Escola Jovem LGBT. De acordo com a coordenação, existe também lista de espera entre os interessados. No total, o número de inscritos foi de 120 candidatos, de vários estados. Para participar do processo de seleção, era necessário ter entre 14 e 30 anos.


SEDE


Os responsáveis pelo instituto correm contra o relógio para acertar a sede da escola. Dois prédios são analisados e a definição deve sair antes do Carnaval. Os endereços não são divulgados para não atrapalhar nas negociações. O dinheiro dado pelo convênio será justamente para despesas, como o aluguel.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Polêmica nas forças armadas


E você, o que acha?
 

Capa do Correio: "Escola gay já tem lista de espera"

    
E não é que fomos pra CAPA do jornal Correio Popular mais uma vez? A pauta, dessa vez, foi o sucesso das inscrições e mais novidades sobre a Escola Jovem LGBT: 

 
"Escola gay lota salas e deixa 60 na fila de espera"


Um trechinho da matéria que eu gostei muito: "No começo, muita gente temia que Campinas fosse resistir à criação de uma escola gay. Mas a comunidade aprovou o projeto. Não há o menor sentido em ser contra um espaço cultural.”

Arrasamos ouarrasamos? Leia a matéria na íntegra:


Publicada em 4/2/2010
no jornal Correio Popular
 Campinas/SP
Cidades
Escola gay já tem lista de espera
Número de inscritos chegou a 120, o dobro em relação à quantidade de vagas oferecidas


Rogério Verzignasse
DA AGÊNCIA ANHANGUERA
rogerio@rac.com.br

A primeira escola brasileira de cultura gay, um dos 300 pontos de culturas financiados por um convênio firmado entre o Estado e a União, já definiu a lista de 60 alunos que, a partir de março, vão formar as primeiras turmas dos cursos de dança, web TV e fanzine. A seleção, pelo critério de idade, foi feita a partir de uma lista com 120 inscritos, do Brasil todo, e já há uma lista de espera.

Os jovens classificados, com idades entre 14 e 30 anos, estão relacionados no endereço www.e-jovem.com, página virtual onde cerca de 2 mil adolescentes campineiros difundem o respeito à diversidade sexual. Os futuros alunos devem confirmar a matrícula até o próximo sábado.

Os cursos, anunciados no final do ano passado como parte do projeto cultural apresentado ao governo, vão custar R$ 180 mil. O repasse será feito em três parcelas (uma por ano). O dinheiro será usado basicamente para o pagamento dos professores e compra de materiais. Cada turma terá 20 alunos e as aulas serão semanais, aos sábados, com três horas de duração.
Para 2011 e 2012, a proposta oficial da escola prevê cursos como música, teatro, revista, criação literária e cinema. Mas já há a possibilidade de oferecer ainda cursos de redação jornalística, defesa pessoal e escolinha de futebol. Nenhum aluno vai pagar um centavo pelas aulas (da grade oficial ou da alternativa). Vai ser tudo de graça.

“O projeto cresceu demais. A gente vai formar turmas extras a partir da nossa capacidade em conseguir espaço e horário para as aulas”, afirmou Deco Ribeiro, de 38 anos, professor universitário e idealizador da Escola Jovem LGTB (gays, lésbicas, bissexuais e transexuais). Entre os selecionados, há moradores de várias cidades da região, além de Minas Gerais, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Bahia e Paraná.

O mais interessante, disse Ribeiro, foi descobrir o interesse do público heterossexual no projeto. “No começo, muita gente temia que Campinas fosse resistir à criação de uma escola gay. Mas a comunidade aprovou o projeto. Não há o menor sentido em ser contra um espaço cultural.”

Na opinião de Deco, o projeto acabou sendo reconhecido porque oferece inclusão a um público que, historicamente, é vítima da intolerância. Para combater o preconceito, o objetivo do grupo é oferecer atividades inclusivas, abertas a adolescentes de qualquer orientação sexual.

Tanto é que, entre os 60 classificados, há alunos heterossexuais. Todos eles estão recebendo, por e-mail, o aviso da classificação e sendo orientados sobre onde e como entregar a documentação necessária. A direção do e-jovem não divulga, publicamente, o nome completo de nenhum deles. “A simples publicação do nome pode gerar preconceito contra o aluno”, justificou Ribeiro. Pelo mesmo motivo são preservados os nomes dos professores já escolhidos ou dos que ainda se inscrevem para ministrar aulas.

Para despertar a atenção da sociedade sobre a intolerância em relação os homossexuais, a escola vai promover reuniões periódicas com os pais dos alunos. O objetivo da iniciativa é levar o debate para dentro das famílias. “Quem é reprimido, ofendido e agredido na rua precisa encontrar respeito e apoio pelo menos dentro de casa”, disse Ribeiro. Os adolescentes homossexuais, a seu ver, precisam ser acolhidos, respeitados. Se as pessoas estiverem dispostas a ouvir, os dramas cotidianos do gay podem ser assimilados, elaborados.

Selecionados os futuros alunos e professores, agora só falta a definição do prédio onde a escola vai funcionar. Já se falou até em prédios públicos. Até março, o e-jovem vai escolher entre duas casas oferecidas gratuitamente por simpatizantes da causa.

O NÚMERO

R$ 54
MILHÕES

É o valor do investimento no patrocínio de projetos no território brasileiro, a partir de convênio firmado entre o Estado e a União que formalizou os 300 pontos de cultura. Cada um deles vai receber R$ 180 mil, divididos em três parcelas anuais. Além de pagar professores e comprar materiais, os recursos podem ser usados na cessão de bolsas de estudo para alunos que, por exemplo, moram longe da cidade e precisam de ajuda de custo para sobreviver na cidade que sedia um dos pontos.

SAIBA MAIS

A relação com os prenomes dos classificados para a Escola Jovem LGTB (e suas cidades de origem) está disponível no www.e-jovem.com.

A mesma página virtual tem links para receber inscrições de novos alunos e currículos de professores, que podem ser contratados para ministrar cursos oficiais do projeto (que garantem remuneração) ou voluntários.

A FRASE

“A escola não é só para gays. Ela pretende dar visibilidade para essa parcela da sociedade. Também queremos que os jovens gays deixem de se envergonhar pela própria identidade.”

DECO RIBEIRO
Professor universitário, idealizador da Escola Jovem LGTB

Comentário: Ok, a sigla saiu meio torta. Mas fora isso  a matéria está impecável!! Bjus do Deco =]
   

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Mais um 'homem' vai dar à luz nos Estados Unidos

Mais um 'homem' vai dar à luz nos Estados Unidos

Scott Moore e Thomas

Aconteceu de novo. Mais um "homem" dará à luz no Estados Unidos. Scott Moore - o segundo caso conhecido - está "grávido", segundo o jornal "Daily Mail". O transexual será submetido a trabalho de parto em fevereiro. Ele e o companheiro Thomas, que também nasceu mulher -, já escolheram o nome do menino, concebido sob inseminação artificial: Miles.

Os dois são legalmente casados porque Scott, de 30 anos, manteve o "sexo feminino" na certidão de nascimento.

"Eu sei que muitas pessoas vão nos criticar, mas estou imensamente feliz e sem qualquer vergonha", disse Scott, segundo o "Daily Mail".

O casal transex da Califórnia já tem dois filhos - um de 12 anos e outro de 10 -, gerados artificialmente no útero da antiga companheira de Thomas, que já faleceu.

Scott e Thomas

Scott, que nasceu Jessica, disse que desde os 11 anos percebera que gostaria de ser um homem. Os pais pagaram o equivalente a 13 mil reais para que os seios da filha/filho fossem removidos.

Thomas, que já foi Laura, fez cirurgia para mudança de sexo no ano passado, quando removeu o útero.

O primeiro caso conhecido de "homem" dar à luz foi o de Thomas Beatie, do estado do Oregon, que causou grande polêmica. A filha Susan nasceu em julho de 2008.

Recapitulando: Duas mulheres se tornaram "homens" e formam um casal. Um deles está "grávido". Entendido?

10 ANOSDE LUTA

Dino da Moto Rosa devrá abrir a Parada mais uma vez
  
E a organização da X Parada do Orgulho LGBT de Campinas definiu ontem o seu tema: "10 ANOS DE LUTA - todos juntos pela igualdade social". A ideia é fazer um evento beneficente, com arrcadação de donativos e/ou dinehiro para entidades que lutam contra a desigualdade.

Legal, né? Vai dar um ar diferentão pro evento...

Além disso, temos várias atividades novas, além da tradicional Gincana, do Show de Novos Talentos, da Big Juice, da Manifestação Sáfica e da Parada: Conscientização contra a violência nque atinge asmulheres, Mostras de filmes, Debate sobre Homossexualidade e Socialismo, Festa Junina, Show da Concórdia, Noite dos Namorados, Teatro Infantil...

As apresentadoras da Parada também já foram escolhidas: nossa Lohren Beauty, Priscilla Drag e Pretty Lupon.

Essa edição do Mês da Diversidade PROMETE!! =D
 
Ocorreu um erro neste gadget