segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A mídia e a manipulação das eleições

Dilma, a guerrilheira: nasce um ícone

Que grande parte da imprensa  brasileira copia o que sai no Globo, na Folha e no Estadão, todo mundo sabe. Que esses mesmos três veículos repercutem o que sai na Veja e replicam isso ao longo do seu próprio grupo de mídia (UOL, Época, TV Globo etc) e dessa grande parte da imprensa brasileira também é fato notório. E que esse quarteto de empresas (famílias?) de comunicação atuam em conjunto e com claro interese político, como se fosse um partido próprio (o PIG, Partido da Imprensa Golpista, diriam alguns), também é fácil de verificar.

Até porque o interesse dese PIG é sempre oposto aos intereses da população e atendem apenas a uma elite (uma elite branca, diria Cludio Lembo - eu acrescentaria ainda adulta, masculina e heterossexual). Ouseja, a eles mesmos.

Pois bem. É em época de eleições que a coisa fica mais descarada. Um bom trabalho para alunos do primeiro ano dejornalismo seria fazer uma análise dos veículos de mídia: quanto sai falando de cada candidato? Tá, por lei o espaço é o mesmo - mas duas notícias "Serra propõe acabar coma violência" e outra "Dilma pode ter feito dossiê contra o PSDB", ainda que do mesmo tamanho, vc concorda que é positiva pro Serra e negativa pra Dilma? Então não é questão de tamanho,somente. É questão de viés.

E o viés do PIG, nessas eleições, é eleger o Serra (aliás, esse foi o viés da imprensa desde 2003, quando Lula assumiu). Daí o desespero da imprensanessa rta final, de Dilma com 47% e Serra com 29%.

Vou dar 3 exemplos só, porque esse post pode ter 300 páginas se formos falar de tudo. Mas vamos de três exemplinhos recentes.

1) Serra parte pro ataque

Nem a propaganda paga do candidato é tão direta

No dia seguinte ao debate Folha/UOL, 19 de agosto, essa foi a manchete da Folha. Manchete de pontaa ponta, com letrasmaiores, que a Folha só usa para desastres aéreos, morte do papa etc. Qual era o fato relevante, que despertou essa fúria marketeira da Folha? Não, não foi o fato do Serra ter sido mais incisivo no debate (obrigação, aliás, de quem está atrás). É que nessa mesma semana tinha saído duas pesquisas, Ibope e Vox Populi, levando Dilma a mais de 45% e Serra a 29% - abixo de 30% pela primeira vez em muito tempo. E logo o Ibope, pago pela Globo!

O desespero foi tão perceptível e descabido, que nem os próprios funcionários da casa engoliram:
 
Charges do Correio Popular e da própria Folha,
no dia seguinte, ridicularizam o "ataque" de Serra

2) Dilma, a guerrilheira

"Oh, meu Deus! Essa é a próxima presidente??
Fujam para as montanhas!"

Na semana passada, a capa da Época foi essa. O resumo é: "Como que uma guerrilheira, ex-detenta, que mente, falsifica documentos, rouba bancos e sabe-se o que mais pode ser presidente?" Ou seja, pintaram e bordaram.

Só se esqueceram de uma coisa: o único grupo que chama a luta contra a ditadura de terrorismo é a elite brasileira. Pra todo o resto do mundo, os que lutaram pela volta da democrcia, mesmo com armas, foram heróis. Mesmo tentando pintar a Dilma com todas as cores negativas possíveis, o problema aí era de códigos. O que simboliza medo e desconfiança pras elites, simboliza orgulho e luta para a esquerda. A caricatura da Dilma guerrilheira e comunista, que abre esse post, pode aterrorizar os machos brancos e héteros das famílias Civita, Marinho,Mesquito e Frias - mas tornou Dilma um ícone da juventude, um novo Ch Guevara. A imagem vermelha já domina a internet e não me surpreenderia se estampasse blusas e mochilas país afora...

Tiro pela culatra total.

3) O Porsche do Netinho

No detalhe, o "Porsche" que não era Porsche...

Nessa mesma Época da semana passada, o PIG resolve começara detonar a candidatura de Netinho ao Senado, que ameça as candidaturas conservadoras. ele está empatado em segundo com Quércia e Tuma, sendoque Marta lidera disparada na frente. Dois senadores paulistas de apelo popular? Só sob o cadáver do PIG.

A matéria resolve detonar o candidato e parte em busca da casa dele, que não estaria declarada, e de seu Porsche na garagem. Tá, a casa tá em nome dos filhos. Mas o Porsche não tem desculpa. Como pode, um candidato do povo, da periferia,de Porsche! Absurdo!!

Na revista seguinte, dessa semana, sai lá na coluna "Erramos" (que se chama eufemisticamente "Fomos Mal"), uma nota minúscula:

"O carro na garagem do candidato Netinho,
é um Pontiac Solstice, da GM, e não um Porsche."

Peraí!! Mas o grande destaque da matéria não era justamente o Porsche?? A casa tinha até explicação,mas o Porsche era o dólar na cueca do Netinho...

Ah, "fomos mal, não era Porsche. Era um carro que qualquer um poderia comprar.

E vida que segue.

Por isso, amiguinhos, para não me estender demais, tomem cuidado com TUDO o que lerem (e veremna TV) de agora até outubro. É consenso geral que o PIG tá armando algo grande pra meados de setembro, pra pelo menos tentar empurrar a disputa pro segundo turno.

Será uma mentira descarada da Veja, lançada num sábado, que vai "repercutir" na Folha e no Estadão de domingo e abrir a escalada de notícias do Jornal Nacional de segunda, alimentndo a mídia por toda a semana. Até chuto o dia que isso vai acontecer: começa na veja do dia 19 de setembro, que chega nas mãos dos assinantes no sábado 18.

Por que no dia 18e não no dia 25, mais próxima das eleiões - pra dar tempo do Ibope e do Datafolha lançaramsuas pesquisas, com a 'recuperação" do Serra após o "escândalo"...

A conferir... =]


Um comentário:

Felipe disse...

Não é de espantar o papel político velado que os veículos de imprensa tem. Acompanhando a cobertura das eleições nós descobrimos cada absurdo, que fico bestificado. O que me deixa feliz, é verificar a importante participação da população na eleição. Pois me cansei de ouvir que Dilma não conseguiria pois não tem carismo e que a boa avaliação do governo não seria transmitido. E esta acontecendo isso, Dilma cresce e enquanto isso Bonner fica de cabelos em pé.

Ocorreu um erro neste gadget