segunda-feira, 4 de julho de 2011

Por um Brasil sem homofobia

Pioneira no Brasil, Escola Jovem LGBT atende adolescentes que buscam informações e apoio para lidar com temas como sexualidade e preconceito

REVISTA CRIATIVA - EDIÇÃO 267 - JULHO DE 2011
Bruno Yutaka Saito • Foto Raquel Espírito Santo

Unidos pela diversidade: Raí Santos, William Bernardo, Lohren Beauty, Anderson Arruda e Deco Ribeiro

Deco Ribeiro é uma agência de notícias ambulante. Tem, na ponta da língua, os mais recentes crimes cometidos contra homossexuais. “Em Ilhéus (BA), um rapaz foi assassinado e queimado; em Cuiabá (MT), um jovem foi estrangulado e jogado no esgoto”, relembra o jornalista de 39 anos à CRIATIVA. Não é apenas a profissão que o mantém atualizado. Militante antidiscriminação sexual, Deco fundou a pioneira Escola Jovem LGBT, dedicada a lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros.

“Quanto mais aumenta nossa visibilidade, mais aumenta a resistência”, diz Deco. Sediada em Campinas (SP), a escola, que começou a funcionar em 2010, oferece cursos a jovens, inclusive heterossexuais, interessados em entender e discutir a diversidade sexual. Atualmente são 30 alunos que se dividem entre as aulas de música, criação de revistas e dança/teatro, aos sábados e domingos. Deco diz que a escola confunde. “Tem gente que vê preconceito invertido, pensando que somos fechados para os héteros.”

Para compreender o projeto é necessário entender a história de Deco, que por sua vez é a história de milhares de jovens no Brasil. Nascido no Rio de Janeiro, mas com uma adolescência entre São Paulo e Mato Grosso, Deco diz que informações sobre sexualidade eram escassas nos anos 80. “Não tinha internet. Minhas únicas fontes de informação eram livros que consideravam a homossexualidade uma fase passageira.”

Essa “fase”, no entanto, nunca passou. Deco evitava o assunto com os familiares. Até os 26 anos, viveu “no armário”. Foi nessa época, em 1998, que o jornalista conheceu virtualmente pessoas com problemas semelhantes. Era uma sala de bate-papo com outros jovens gays. Centenas de pessoas do Brasil inteiro se conectavam para tirar dúvidas, conversar e paquerar. Algumas questões eram frequentes: “Quero me assumir, mas não sei como contar para meus pais”; “Sofro preconceito na escola. O que fazer?”. Surgiu daí a ideia de criar um site que reunisse respostas para perguntas como essas. Em 2001, Deco e outros internautas criaram o E-Jovem. “Dentro da comunidade gay não havia espaço para o jovem. Tudo era voltado para os gays mais velhos.”

O sucesso foi rápido, com um mailing de 4 mil contatos. O encontro real só veio no ano seguinte, quando se reuniram para fazer um curta-metragem. Após a experiência, surgiu a vontade de falar mais sério. E, em 2004, o E-Jovem virou ONG de combate à homofobia.

São mais de 20 grupos (virtuais) espalhados pelo Brasil. Em 2009, a ONG recebeu uma verba anual de R$ 60 mil (durante três anos) dentro do projeto Ponto de Cultura, parceria do governo de SP com o Ministério da Cultura. Foi a oportunidade para a criação da escola, que também é sede da ONG e residência onde Deco vive com o namorado e presidente nacional do E-Jovem, Chesller Moreira (a drag Lohren Beauty).

Com a verba, a escola paga três professores e oferece bolsas para seis alunos. O restante vai para equipamentos, impressos etc. O curso de jornalismo, por exemplo, resultará em duas edições de uma revista com tiragem de 500 a mil exemplares cada uma. “Antes da verba, o dinheiro vinha de nossos bolsos. Fazíamos vaquinhas.”

Para Deco, o projeto da Escola Jovem tenta responder a uma questão social preocupante: “A taxa de suicídio de adolescentes gays é entre três e quatro vezes maior que entre héteros. No Brasil gays ainda são espancados. Temos muito por que lutar.” Entre seus planos está a campanha “Escola Amiga”, que pretende levar às instituições de ensino diretrizes para acabar com a homofobia. É um plano a longo prazo que vislumbra uma sociedade formada por cidadãos educados desde cedo para aceitar a diversidade.

Um comentário:

menosémais disse...

Caríssimo,
parabéns pelas matérias.
Gostaria de deixar o endereço do blog que estou começando agora:

http://assumidadesemfronteiras.blogspot.com

Obrigado,

Domiciano Santos

Ocorreu um erro neste gadget