sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Gays em alta na mídia!!

   
E não é que fomos DE NOVO pra capa dos três jornais de Campinas??
Sea matéria de ontem falou da fila de espera de alunos, a de hoje falou da de professores, se oferecendo pra participar (voluntariamente até) da Escola. Oassunto domina a cidade e é assunto nas praças, cafés e pontos de ônibus.
Nem sempre de maneira lisongeira, mas enfim. =D
As gay tão em alta mesmo na mídia, hein?? Não passa um dia sem um destaque. Será que não é uma estratégia da mídia pra forçar uma reação conservadora?? hehe
bjus do Deco =]
Publicada em 5/2/2010
no jornal Correio Popular
de Campinas/SP
Cidades
Voluntários fazem fila na escola gay
Pelo menos 74 profissionais de diversas áreas já demonstraram interesse em dar aulas em Campinas
Adriana Giachini
DA AGÊNCIA ANHANGUERA
amaral@rac.com.br


A primeira escola brasileira de cultura gay, com sede em Cam pinas, já tem lista de espera para voluntários que queiram participar do projeto. De acordo com o idealizador da Escola Jovem LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais), Deco Ribeiro, até ontem, 74 profissionais das mais diversas áreas haviam procurado a coordenação com sugestões de cursos extracurriculares. “Temos advogados querendo falar sobre direitos humanos e até estilistas para comentar sobre moda ou árbitros de futebol para discutir regras do jogo”, afirma Ribeiro. “Nossa ideia é testar as ‘ofertas’ e ver quais despertarão mais o interesse dos alunos.”


A escola gay é um dos 300 projetos de cultura em todo o Brasil financiados por meio de um convênio entre Estado e União. Inicialmente, serão oferecidas 60 vagas em cursos de dança, web TV e fanzine. Os coordenadores ainda procuram uma sede, que deve estar localizada no Centro ou no Nova Europa. As aulas dos três cursos chamados “oficiais”, com início no dia 6 de março, serão sempre aos sábados. Durante a semana, os voluntários poderão ocupar boa parte da grade de atividades.


Hoje, estão confirmados os cursos de teatro e de canto e coral. As inscrições para voluntários devem ser feitas através do site www.e-jovem.com (página virtual onde cerca de 2 mil campineiros difundem o respeito à diversidade sexual). “O número de pessoas querendo trabalhar com a gente é muito maior do que o esperado e isso prova que estamos no caminho certo. Eu acredito que abrir uma escola gay é uma ousadia tão grande quanto a das pessoas que virão estudar aqui ou mesmo ensinar seus talentos”, diz Ribeiro.


O mais interessante, segundo ele, é a oferta de profissionais heterossexuais. “A maioria são mulheres, já que entre os homens ainda resiste o preconceito”, diz. Todos os cursos oferecidos na escola serão gratuitos. O convênio garantirá verba de R$ 180 mil para três anos de atividade. “O nosso maior desafio é conquistar o empresariado para garantir muito mais do que três anos de existência”, afirma o idealizador. Quem quiser saber mais sobre o projeto pode acessar o site do E-jovem.


Primeiros


Entre os voluntários já com vaga garantida no corpo docente da escola gay está o ator Gustavo Tonini (FOTO), que interpreta a drag Priscilla (bastante conhecido por suas apresentações de humor em Campinas e região). Com formação na área no Rio de Janeiro, em curso com o diretor da Rede Globo Wolf Maia, ele dará aulas de teatro. “Eu não perderia a chance de participar de um projeto como esse, que tem como maior desafio formar adultos coerentes. É também uma grande oportunidade de aprender e, por que não, de encontrar espelhos dentro do nosso universo”, diz. Sua turma participará da montagem de um espetáculo com temática gay para ser encenado em junho, mês da Parada Gay. “É um texto sobre a necessidade de autoaceitação”, antecipa.


O curso de canto e coral terá o comando de Cristiano Henrique da Silva, de 19 anos, que pretende compartilhar a experiência de nove anos de aulas no Conservatório de Montes Claros, em Minas Gerais. “Essa é uma oportunidade que eu mesmo não tive, por isso quis participar”, diz. “E qualquer pessoa pode cantar, até mesmo a Wanessa Camargo!”. Uma fonoaudióloga fará acompanhamento dos alunos de coral. A intenção é montar um grupo para apresentações na cidade.


SAIBA MAIS


MATRÍCULAS


Os alunos aprovados na 1ª chamada, por critérios de idade, deverão confirmar a matrícula nos cursos da Escola Jovem LGBT. De acordo com a coordenação, existe também lista de espera entre os interessados. No total, o número de inscritos foi de 120 candidatos, de vários estados. Para participar do processo de seleção, era necessário ter entre 14 e 30 anos.


SEDE


Os responsáveis pelo instituto correm contra o relógio para acertar a sede da escola. Dois prédios são analisados e a definição deve sair antes do Carnaval. Os endereços não são divulgados para não atrapalhar nas negociações. O dinheiro dado pelo convênio será justamente para despesas, como o aluguel.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget